You tube

terça-feira, 19 de maio de 2009

Não é pra entender é só pra desabafar...


Acho que quando a gente passa a ser mãe, algumas coisas são mais difíceis de entender e superar, principalmente quando envolvidas emocionalmente.
Hoje uma coisa boba me deu uma baita tristeza e mesmo não querendo me chatear foi impossível.
Bom... quem conhece a moça que trabalha comigo, sabe que ela não é um poço de gentileza, aliás, que ela nem mesmo parece humana, está tão acima dos pobres mortais que jamais parou para notar que pessoas tem sentimentos.
A Ágatha não foi um projeto planejado, como mãe solteira, tenho que fazer umas adaptações para que nossa vida tenha um mínimo de ordem e rotina e nessa rotina, vir ao trabalho nos sábados de manhã é um fato. Ainda bebê ela vinha comigo todos os dias para o trabalho e foi assim dos 4 aos 8 meses aproximadamente. Quando ela já podia receber outro tipo de alimentação, passou a ficar com a Wal e eu amamentava somente no horário do almoço e quando chegava do trabalho.
A "colega" de trabalho nunca gostou disso e também sempre deixou claro que crianças não eram a sua praia.
Até aí respeito!
O caso é que hoje tivemos a visita do netinho do Sr. Mário na loja hoje e foi então que eu notei o que ocorre e não se trata de curtir ou não curtir crianças, mas de escolher gostar ou não gostar das pessoas e quando escolhem não gostar da sua criança...
Aí a coisa pega!
Não é novidade que ela não tenha qualquer respeito por nenhuma das pessoas com quem convive diariamente, como disse, ela está num patamar acima, até mesmo dos seus "superiores" se é que isso é concebível para alguém em sã consciência.
O curioso é que para se manter nessa "altura toda" ainda conta com o apoio da maioria dos pobres mortais.

4 comentários:

Anônimo disse...

Nao entendi,

O que ela fez???
O que te aborreceu?

se ela nao cuida da sua crianca, bye bye...
Nunca contratei ninguem por um segundo para olhar meu filho deste jeito que vc escreveu..

Samara L. disse...

Algumas pessoas são muito doentes, Beth. E gente doente, machuca.
(Até eu que sou louca temporária.)

Beijos

Karine Al Shams disse...

Prezada Elizabeth,às vezes olhando na superfície podemos pensar que tua colega simplesmente não gosta de criança, ou não gosta da tua filha...
Mas ver embaixo do nariz a mágica relação de uma mãe com a filha pode incomodar gente frustrada.
Deixa isso pra lá, é provável que essa pessoa seja apenas infeliz. Pessoas infelizes e mal amadas (pra não dizer não-amadas) não suportam o riso alheio.
E ponto.
Gosto de te ler.
Beijos

Elisabeth disse...

Anônimo
Fico chateada com uma postagem truncada como essa, mas alguns sentimentos são complicados de expor.

Samara
É bom ouvir a opinião de quem conhece a essência do problema.

Karine
O brigada por compreender as entrelinhas.